Como elencar prioridades financeiras em meio à crise?

Com possível redução de renda e fim de contratos, é necessário organizar o orçamento

A pandemia do novo coronavírus afetou a situação financeira de muitas famílias brasileiras. Com o isolamento social, a saída de muitas empresas foi a demissão ou a redução salarial. De acordo com um levantamento realizado pela FSB Pesquisa, a pedido do banco BTG Pactual, 69% dos entrevistados disseram que vão cortar gastos. Neste contexto, o trabalhador precisa arrumar soluções para ultrapassar este período. 

Uma das formas de amenizar a crise é fazer uma revisão no orçamento e estabelecer prioridades dentro da nova realidade. É claro que esse processo de elencar o que é mais importante quando se trata de economia varia de família para família, levando em consideração as necessidades de cada um. Contudo, é possível pensar em algumas soluções gerais que facilitam essa definição de prioridade.

A crise revela que é preciso sobreviver antes de qualquer coisa, por isso, dê preferência para os gastos de necessidade básica. A alimentação é o primeiro deles, diante da crise financeira, sempre reserve a porcentagem da comida. Essa parte é importante até para a saúde, afinal, comer bem influencia na manutenção da imunidade.

Deve-se estocar comida? Não é necessário, porque se você compra além do necessário, alguém pode ficar sem, seus mantimentos podem até passar da data de validade e se perder..

Comendo bem, a preocupação também deve ser voltada para a saúde. Os itens de farmácia e o plano de saúde são prioridades. Se você faz algum tratamento, não é o momento de abandonar. É imprescindível manter-se saudável tanto fisicamente, quanto mentalmente durante essa fase.

Quando se fala em boletos, os de serviços essenciais como água e luz também devem ser priorizados, contudo, alguns estados e municípios estabeleceram regras diferentes para o pagamento dessas contas durante a pandemia, ou aumento do prazo de pagamento, até mesmo descontos. Verifique se a sua cidade adotou alguma dessas mudanças.

Se você estiver no regime de home office, o pagamento da internet também é prioridade, afinal, é uma ferramenta de trabalho. Neste caso, você pode negociar com a empresa prestadora de serviço um melhor preço ou até mesmo contratar um pacote mais em conta. 

Agora pensando no restante das contas, é necessário um cuidado especial com o cartão de crédito e o cheque especial, porque eles têm a maior taxa de juros do mercado. Atrasar uma fatura alguns dias já pode acarretar em uma dívida bem grande. Se você não tiver condições de pagar, tente pedir emprestado a alguém próximo ou até mesmo fazer um empréstimo pessoal, que tem juros menores.

Por fim, o financiamento, seja de imóvel ou veículo, é de grande importância. Algumas financiadoras ou bancos também estão oferecendo facilidades, como renegociação das parcelas ou prazo maior para o pagamento. Entre em contato com a sua prestadora e negocie condições melhores. 

É um momento difícil para todos, por isso é tão importante se planejar financeiramente, assim os danos serão menores e ficará mais fácil se estabilizar quando tudo passar. 

Tags: orçamento

Veja mais